LOGO PPGCAS
UFJ

Romayne Paniago França

AUTOR: Romayne Paniago França
TÍTULO: Preparação e Análise Estrutural de Formas Cristalinas dos Fármacos Glicosamina e Tolbutamida
ORIENTADOR: Prof. Dr. Roosevelt Alves da Silva
ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: NOVOS MATERIAIS E METODOLOGIAS APLICADAS À SAÚDE
LINHA DE PESQUISA: MÉTODOS DE DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DE DOENÇAS
DATA DE APROVAÇÃO: 07/10/2016

 

Resumo:

O polimorfismo é a capacidade de um elemento ou composto em cristalizar-se em mais do que uma espécie distinta de cristal, este afeta não apenas a velocidade com que uma substância age no organismo, mas também sua estabilidade química ao longo do tempo. Existe um grande problema que tem sido de importância considerável na indústria farmacêutica, é o desenvolvimento de um novo fármaco. A realização dessa pesquisa se justifica pelo fato de que, de acordo com a literatura , a forma cristalina ou presença de polimorfismo alteram a solubilidade e as propriedades físico-químicas de fármacos, podendo ser capazes de causar desvios de qualidade através da biodisponibilidade dos fármacos, influenciando o desempenho dos medicamentos e a bioequivalência. O objetivo da pesquisa é sintetizar e caracterizar formas cristalinas dos fármacos Glicosamina e Tolbutamida, desta forma analisou-se o polimorfismo e a estrutura cristalina destes fármacos. Os experimentos foram realizados no laboratório de desenvolvimento de novos fármacos da UFG/Regional Jataí, onde se realizou os ensaios de cristalização para a obtenção de cocristais dos fármacos Glicosamina e Tolbutamida. Foram escolhidos a Tolbutamida, fármaco utilizado como hipoglicemiante oral e a Glicosamina usada no tratamento de artrose, reumatismo articular, e regeneração de cartilagem danificada. A escolha destes teve como base a disponibilidade destas substâncias no Laboratório de Desenvolvimento de Novos Fármacos da UFG/Regional Jataí, e o fato de não terem sido, ainda, totalmente explorados na literatura. Foram realizados ensaios de cristalização para obtenção de cocristais em diferentes solventes e caracterizadas as estruturas por difração de raios X por monocristal (DRXM) e infravermelho (IV). As matérias primas Glicosamina e Tolbutamida, foram adquiridas na Pharma/China Zhejiang Golden- Shell e Sigma-AldrichCo., USA, respectivamente. Os comportamentos de solubilidade da Glicosamina e Tolbutamida foram observados experimentalmente para os solventes: água deionizada, metanol, etanol, isopropanol, butanol, acetona, dimetil-formamida, acetato de etila, éter etílico, acetonitrila, clorofórmio, diclorometano, THF, hexano e heptano.Observou-se que a Glicosamina é pouco solúvel nos solventes água deionizada, isopropanol, butanol, dimetil-formamida e clorofórmio à temperatura ambiente, após aquecimento das soluções a Glicosamina, apresentou ser solúvel apenas em água deionizada. Entretanto, é insolúvel nos solventes: metanol, etanol, acetona, acetato de etila, éter etílico, acetonitrila, diclorometano, THF, hexano, heptano. Nos resultados de ensaios de cristalização para obtenção de cocristais de Glicosamina, a partir da solução de Glicosamina e água deionizada com ácido salicílico e outros solventes obteve a formação do ácido 2-aminobenzoico. Observou- se que a Tolbutamida se solubiliza, à temperatura ambiente, em metanol, etanol, isopropanol, acetona, dimetil-formamida, acetato de etila, acetonitrila, clorofórmio, diclorometano e THF. É pouco solúvel nos solventes: água deionizada, butanol e éter etílico e insolúvel nos solventes hexano e heptano e passou a ser solúvel em butanol após aquecimento. Nos resultados de ensaios de cristalização para obtenção de cocristais de Tolbutamida, a partir da solução de Tolbutamida e metanol com o ácido salicílico nos solventes metanol, etanol,isopropanol, acetonitrila e diclorometano, obteve-se a formação do ácido 2- aminobenzoico, porém não houve cristalização nos solventes acetato de etila, clorofórmio e THF. Nos resultados de ensaios de cristalização para obtenção de cocristais de Tolbutamida, a partir da solução de Tolbutamida e etanol com ácido salicílico nos solventes, etanol, acetato de etila, acetonitrila, diclorometano e THF, obteve a formação do ácido 2-aminobenzoico, porém não houve cristalização nos solventes metanol, isopropanol e clorofórmio. Nos ensaios de cristalização foram encontrados o polimorfo I e o polimorfo III da Tolbutamida. Nos resultados de ensaios de cristalização para obter cocristais da solução de Tolbutamida, a partir da solução de Tolbutamida e etanol com ácido maleico nos solventes metanol e acetato de etila ocorreu a cristalização da Tolbutamida no sistema monoclínico e no grupo espacial P2 /n, enquanto nos solventes butanol,acetona e THF, ocorreu a cristalização da Tolbutamida 1 no sistema ortorrômbico e no grupo espacial Pna2 . Nos ensaios realizados com ácido 1 tartárico e ácido oxálico, temos fortes evidências da formação de cocristais de Tolbutamida com ácido oxálico e Glicosamina com ácido tartárico, constatadas pelas medidas de Espectroscopia de Infravermelho.

 

Pdf ícone

TEXTO COMPLETO

BDTD BIBLIOTECA DIGITAL DE TESES E DISSERTAÇÕES