LOGO PPGCAS
UFJ

Denis Henrique de Oliveira

REFERÊNCIA: Oliveira, Denis Henrique de Inquérito soroepidemiológico de infecções pelos vírus das hepatites B e C em trabalhadoras manicures e pedicures do sudoeste goiano [manuscrito] / Denis Henrique de Oliveira. - 2017.
AUTOR: Denis Henrique de Oliveira
TÍTULO: INQUÉRITO SOROEPIDEMIOLÓGICO DE INFECÇÕES PELOS VÍRUS DAS HEPATITES B e C EM TRABALHADORAS MANICURES E PEDICURES DO SUDOESTE GOIANO
ORIENTADOR: Orientador: Profº Drº Marcos Lázaro Moreli, Co-orientador: Profº Drº Luiz Almeida da Silva
DATA DE APROVAÇÃO: 19/05/2017

 

Resumo:

As hepatites virais são um grande problema de Saúde Pública no mundo, sendo os tipos B e C de maior importância epidemiológica, devido as características clínicas e alta morbimortalidade. A hepatite B é ocasionada pelo vírus da hepatite B (HBV), que devido a sua alta especificidade, infecta o homem que se torna o reservatório natural. A hepatite C é causada pelo vírus da hepatite C (HCV) e é reconhecida como uma das principais causas de doença hepática crônica em todo o mundo. O objetivo do presente trabalho foi de investigar a presença de infecções pelos HBV e HCV nas profissionais manicures e pedicures dos municípios de Jataí-GO e Caiapônia-GO, através de análises sorológicas e moleculares, associando às condições ocupacionais dessas profissionais. Trata-se de um estudo do tipo transversal e quantitativo para determinação da prevalência dos marcadores sorológicos HBsAg, anti-HBc total, anti-HBs e anti-HCV pelo uso de métodos imunocromatográfico, imunoenzimático e moleculares. Por meio de questionário padronizado foram entrevistadas 163 profissionais manicures e pedicures e obtidas 142 amostras de soro. A população amostral é caracterizada, predominantemente, por indivíduos do sexo feminino (99,4%), com idade mediana de 32 anos (IIQ: 26 – 42), casada ou em união consensual (52,1%), com filhos (74,2%) e com tempo de estudo maior ou igual a 12 anos (59,5%). Em relação ao tempo de trabalho no ramo de manicure e pedicure, foi verificado que exercem a profissão por 120 meses (IIQ: 60-228), possuindo uma carga horária diária de trabalho de oito horas (IIQ: 6-8). A formação profissional de 47,2% dos profissionais ocorreu por meio de cursos profissionalizantes. Quanto ao conhecimento sobre biossegurança 73% referiram ausência de capacitação sobre prevenção de disseminação de doenças, e ainda 73% afirmaram não fazer uso de Equipamentos de Proteção Individual. Em relação ao descarte de materiais de uso único, 66,3% referiram reutilizar o palito e 62% utilizam as lixas em mais de um cliente. Quanto à esterilização, o método mais citado foi pelo calor seco, o uso da Estufa de Pasteur foi
citado por 75% dos participantes. Acerca da proteção vacinal de manicures e pedicures contra hepatite B, 87,5% referiram o esquema vacinal completo, com três doses. Em relação a acidentes com materiais perfurocortantes 93,3% afirmaram ter perfurado ou cortado algum cliente durante atendimentos e quanto ao descarte desses materiais, 82,8% revelaram realizá-lo em lixo comum. Quanto à presença de marcadores sorológicos para HBV e HCV a positividade foi verificada na técnica de ELISA, para os marcadores HBsAg, anti-HBc, anti-HBs em 5,6% (n=8); 7% (n=10) e 33,1% (n= 47), respectivamente e anti-HCV em 2,8% (n=4). Não houve a confirmação da positividade pelo método molecular. Esta pesquisa, por meio do emprego de métodos sorológicos e moleculares para hepatite B e C permitiu estabelecer melhor o diagnóstico dessas doenças de impacto social e reforçar a necessidade de adesão às boas práticas de biossegurança e de prevenção durante a jornada de trabalho das profissionais manicures e pedicures.

 

Pdf ícone

TEXTO COMPLETO