LOGO PPGCAS
UFJ

ISABELE PEREIRA TANNOUS

AUTOR: ISABELE PEREIRA TANNOUS
TÍTULO:  PERFIL EPIDEMIOLÓGICO E GEOGRÁFICO DA INFECÇÃO PELO VÍRUS DA DENGUE EM UM MUNICÍPIO DO SUDOESTE DE GOIÁS: UM ESTUDO TRANSVERSAL
ORIENTADOR:  Prof. Dr. Wagner Gouvêa dos Santos
DATA DE APROVAÇÃO: 10/07/2018

 

Resumo:

A dengue é uma doença transmitida por mosquitos do gênero Aedes, caracterizada como doença aguda febril, etiologicamente viral, de gravidade distinta, e atualmente um importante problema de saúde pública. A doença de padrão sazonal, apresenta no Brasil, índices mais elevados de casos no decorrer dos cinco primeiros meses do ano, período considerado mais quente e úmido, típico dos climas tropicais. As altas temperaturas, umidade e épocas chuvosas, são fatores determinantes que auxiliam na multiplicação e difusão do vetor da dengue. Este estudo teve como objetivos realizar o levantamento da incidência de dengue no município de Jataí, estado de Goiás; mapear as regiões com focos de transmissão; identificar possíveis fatores climáticos que influenciam na ocorrência da doença e avaliar o perfil socioeconômico da população estudada a partir dos casos notificados e confirmados de dengue no período de 2014 a 2016. Foi possível constatar que, em Jataí, ocorreram sucessivas reincidências de casos por dengue, com número crescente de casos notificados durante os anos avaliados. O setor central do município de Jataí, se destacou com o maior número de notificações de dengue durante os três anos, apresentando casos durante todos os meses do ano, com picos entre os meses de fevereiro até maio. Os dados meteorológicos demonstraram que o período chuvoso, a temperatura e a umidade relativa do ar influenciam de forma direta o aumento da incidência da dengue. Em relação a análise do perfil epidemiológico dos casos de dengue no município de Jataí, foi possível identificar maior prevalência da doença em indivíduos do sexo feminino, alfabetizados e na faixa etária de 20 a 39 anos. De mesmo modo, verificou-se que a maioria dos casos se classificam como dengue clássica e apresentam tendências para progredir à quadros de dengue hemorrágica. Os exames mais utilizados para confirmação de diagnósticos foram a pesquisa do antígeno NS1 e a sorologia de IgM. Nos três anos analisados foram isolados no município apenas os sorotipos DENV-1 e DENV-4. O estudo evidenciou diversos criadouros de dengue, em especial, uma grande quantidade de entulhos e lixo nas residências e em terrenos baldios da cidade, fator considerável para o aumento do número de casos de dengue, o que infere a negligência e falta de conscientização da população em relação a gravidade da doença.

 

Pdf ícone

TEXTO COMPLETO